• A Folha do Vale - Jornal e Site

4,4 mil policiais estarão nas ruas em MT


Eleições vão mobilizar efetivo de 4.479 policiais que atuarão em 1.479 locais de votação nas 60 zonas eleitorais de Mato Grosso. Somente a Polícia Militar vai destinar 3.170 soldados para atendimento do pleito eleitoral nos 141 municípios do Estado.


A Polícia Civil terá 964 servidores, entre escrivães, investigadores e delegados. Serão 113 delegados. Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), Polícia Federal, Exército Brasileiro, Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Corpo de Bombeiros também estão inseridos no planejamento das eleições municipais de 2016.


A partir de quinta-feira (29), as forças de segurança começam a se deslocar para os municípios mais longínquos e, a partir da noite de sábado (1º) o Gabinete de Gestão Integrada (GGI) passará a monitorar todas as ocorrências a partir da sede da Secretaria de Segurança Pública (Sesp), informou o titular da pasta, Rogers Jarbas. Somente após o encerramento das votações e apuração, na noite de domingo (2) é que a operação será encerrada.


Rogers garante que o planejamento e deslocamentos resultam de um trabalho prévio dos setores de inteligência de todas as forças de seguranças envolvidas. A partir do estudo de pontos vulneráveis foi feito o remanejamento do efetivo para todas as regiões, dentro das peculiaridades de cada uma delas.


Uma das preocupações da desembargadora Maria Helena Póvoas, presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) é em relação as áreas de conflito entre brancos e indígenas, principalmente no município de Juína (735 km a noroeste), bem como na Terra Indígena Xavante Marãiwatsédé, área, de 165 mil hectares, entre as cidades de Alto Boa Vista, São Félix do Araguaia e Bom Jesus do Araguaia (1.059, 1.200,983 km a noroeste respectivamente).


Para estes pontos houve reforço no policiamento, com a presença de pelo menos 50 soldados do Exército Brasileiro, incluindo viaturas e aeronaves, além de efetivo de apoio da Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal (PRF).


Em relação a “lei seca”, o gestor da Sesp diz que não haverá restrição na venda de bebidas alcoólicas às vésperas e durante a votação. Mas a lei será rigorosa e impedirá a presença de pessoas embriagadas nos locais de votação, bem como badernas promovidas no entorno das zonas eleitorais.


O conhecido “cadeião”, para onde serão encaminhados todos os indivíduos flagrados em situação de crime eleitoral, serão instalados em todos os municípios. Na Capital funcionará na sede do TRE e em Várzea Grande, na sede do Fórum da cidade. As prisões serão apuradas pelas autoridades de cada município, no caso os delegados de Polícia.

Fonte: A Gazeta

Logo Site Projetar e Construir.jpg
LOGO FINANÇAS E CONTABILIDADE.jpg
LOGO SAÚDE EM FOCO.jpg
Logo_AgroNegócio_&_Veterinária_Miniatura
Logo Moda & Tecnologia Miniatura.png
Logo Educação Política miniatura.jpg

Empresas em Destaque

1/6

1/2

1/1

1/4