• A Folha do Vale - Jornal e Site

MT 183 entre Juína e Aripuanã encontra-se intrafegável


A situação da MT 183, que liga os municípios de Juína e Aripuanã, encontra-se praticamente intransitável. A MT 183 possui aproximadamente 200 km de chão de terra entre os municípios e neste período de chuvas, sem os devidos reparos para manter as condições mínimas de trafegabilidade, será inviável o transito pela mesma.

A MT 183 possui diversos trechos alagados, grande parte da mesma encontra-se esburacada e algumas das suas “pontes” estão parcialmente submersas ou com apenas parte de sua estrutura. O ponto mais crítico se encontra na “ponte” sobre o Rio Azul, dentro do território do município de Juína, que se encontra parcialmente submerso, além de possuir apenas parte de sua estrutura.

Na verdade, a “ponte” não pode ser chamada de ponte, pois se trata de uma estrutura de torras que se encontra parcialmente destruída. O trecho já se encontra intransitável para veículos populares e se continuar nesta situação, será impossível o transito de outros veículos que se arriscam na MT 183.

A estrada, por ser uma rodovia estadual, é de responsabilidade do Governo do Estado e a situação em que a mesma se encontra demonstra o “empenho” do governo do estado em manter as vias de aceso aos municípios em condições adequadas para o trafego de veículos.

Apesar de ser responsabilidade do Governo do Estado, cabe aos prefeitos dos municípios, juntamente com seus vereadores, cobrarem as devidas providências para o reparo da MT 183. Em entrevista, o prefeito eleito em Juína Altir Perruzo, explicou que, durante o mandato de deputado estadual, esteve realizando uma reunião no final do ano passado com os gestores de Aripuanã, juntamente com o SIMNO(Sindicato das Industrias Madeireiras e Moveleiras do Noroeste do Estado) além de alguns outros deputados, visando resolver os reparos da MT 183 no período das chuvas.

Segundo o mesmo, a reunião resultou na vinda de uma equipe sobre a coordenação da SINFRA e do sindicato dos madeireiros(SIMNO) para realizar a manutenção da via. Segundo Altir, ficou acertado que os madeireiros locais forneceriam as madeiras para os reparos das pontes caídas e outras “que irão surgir ao longo do tempo” e a partir do momento que entrar o período da seca, haveria uma parceria entre as duas prefeituras de Juína e Aripuanã, juntamente com o SIMNO, setor empresarial e com o Governo do Estado para realizar um trabalho mais consistente, de rebaixamento de morros e alargamento da via.

No entanto, trafegando pela MT 183, constatou-se a precariedade da mesma, com pontes parcialmente destruídas, áreas alagadas e com grande parte de seu trecho esburacado, o que nós faz duvidar se os reparos estão realmente sendo realizados, apesar dos mesmos não serem de responsabilidade dos municípios ou do Sindicato dos Madeireiros.

BR 174 sendo reparada

Apesar das péssimas condições na MT 183, devemos reconhecer o trabalho que o governo federal vem realizando na BR 174, que encontra-se atualmente em melhores condições de trafegabilidade em comparação com a situação que a mesma apresentava a alguns dias atrás, com diversos atoleiros ao longo da mesma.

No entanto, é preciso frisar as péssimas condições em que se encontra a MT 183 e recomendamos aos motoristas que evitem trafegar pela mesma, até a realização dos reparos, buscando utilizar a BR 174.


Atualização


Referente a ponte sobre o Rio Azul, em contato com a secretária municípal de infraestrutura do município de Juína os mesmos nos informaram que não estariam realizando os reparos da referida ponte, no entanto, ainda hoje (20/01), estariam realizando um desvio no trecho onde esta localizado a mesma.

Por: Maurílio Trindade Junior

Logo Site Projetar e Construir.jpg
LOGO FINANÇAS E CONTABILIDADE.jpg
LOGO SAÚDE EM FOCO.jpg
Logo_AgroNegócio_&_Veterinária_Miniatura
Logo Moda & Tecnologia Miniatura.png
Logo Educação Política miniatura.jpg