• A Folha do Vale - Jornal e Site

Frigorifico em Juína é interditado pela vigilância sanitária


Foi realizado na madrugada desta quinta-feira(04/05) a interdição do abatedouro Dom Porco pela vigilância sanitária. Segundo informações, a interdição teria ocorrido após ser registrado em flagrante o processamento de suínos mortos em estado de decomposição.


Segundo informações do secretário de agricultura, João Manuel, os suínos procedem do município de Brasnorte e no transporte, o veículo que levava os animais acabou quebrando no caminho e por consequência, aproximadamente 5 animais teriam morrido.


De acordo com o procedimento padrão, os porcos deveriam ser descartados, no entanto, a vigilância sanitária em inspeção encontrou os porcos na sala de abate, para serem utilizados na confecção de embutidos.


Todo o abate deve ser fiscalizado pelos técnicos em vigilância sanitária por isso, na madrugada de quinta-feira os técnicos se dirigiram ao frigorifico para realizar a fiscalização dos animais a serem abatidos.


Como explicou o secretário João Manuel, houve uma tentativa de processamento da carne estragada pois, conforme foi repassado pela vigilância sanitária, o proprietário do frigorifico teria convocado os funcionários antes da chegada da vigilância sanitária, para que os mesmos limpassem os porcos mortos, no entanto, os técnicos da vigilância sanitária marcaram presença mais cedo no frigorifico, registrando a atividade ilegal.

O frigorifico Dom Porco é o único no município a abater esse tipo de animal, recebendo demandas de diversos município. Atualmente o frigorifico se encontra em uma série de irregularidades, tanto ambientais quanto tributárias.


Conforme foi apurado, o frigorifico Dom Porco tem capacidade para abater 50 animais por dia, no entanto, o mesmo processa de 100 a 150 animais dias, se devido a incapacidade de processamento dos resíduos, os mesmos acabam prejudicando a natureza local.


Segundo a secretária de agricultura, desde o ano passado buscou-se regularizar e adequar do frigorifico, no entanto, o proprietário não cumpriu com o acordo até o momento. De acordo com João Manuel, ainda em Janeiro foi realizado um termo de ajuste para que o proprietário regulariza-se o serviço, tanto na parte documentário, quanto tributária e ambiental, no entanto, nada foi feito por parte do proprietário.


Diante do flagrante, o frigorifico foi interditado pela vigilância sanitária para que seja tomada das devidas providência.


Por: Maurilio Trindade Junior

Logo Site Projetar e Construir.jpg
LOGO FINANÇAS E CONTABILIDADE.jpg
LOGO SAÚDE EM FOCO.jpg
Logo_AgroNegócio_&_Veterinária_Miniatura
Logo Moda & Tecnologia Miniatura.png
Logo Educação Política miniatura.jpg