• A Folha do Vale - Jornal e Site

Saúde em Foco: Alho. Um verdadeiro antibiótico!

O alho, um verdadeiro antibiótico, comumente utilizado no preparo de alimentos salgados apresenta diversos benefícios à saúde do organismo.

A principal característica deste 'condimento' é a alicina, que dá o cheiro forte do alho, e ajuda na prevenção da pressão alta, reduz o colesterol e o risco de infarto.


Confira a seguir algumas das propriedades terapêutica, princípios ativos, indicações terapêuticas e efeitos secundários deste remédio da natureza, destacado nos livros 'Medicina Popular - Tratamento pela plantas medicinais'; e 'Viva melhor com plantas medicinais'


Propriedades terapêuticas: Expectorante, antigripal, febrífugo, desinfectante, anti-inflamatório, antibiótico, antisséptico, vermífugo (lombriga, solitária e ameba), diurético, anti-diabético. Princípios activos: Alicina, alinasa, inulina, nicotinamida, galantamina, ácidos fosfórico e sulfúrico, vitaminas A, B2, B6 e C, proteínas e sais minerais. Indicações terapêuticas: Hipertensão, colesterol, picadas de insecto, antisséptico, arteriosclerose e contra ácido úrico, cancro.


Uso InternoCru: comer 2 a 5 dentes de alho picados com água ou postos sobre pão torrado com azeite. Pôr 3 dentes de alho de molho num copo de água durante a noite e beber no dia seguinte

Decocção: cozer 30 g de alhos com 1 litro de água e tomar 2.5 dl por dia.

Cápsulas: tomar até 2000 mg por dia, após pequeno almoço e após jantar. Uso Externo / Cataplasma: colocar vários dentes de alho esmagados em forma de cataplasma aplicado sobre a zona com dores reumáticas.

Massagem: esfregar energicamente a zona dolorida com dores de origem artrítica. Efeitos secundários: Contra-indicado para pessoas com problemas estomacais e de úlceras, gravidas e mães em amamentação e em pessoas com dermatites. Em doses muito elevadas, pode provocar dor de cabeça, de estômago, dos rins e até tonturas. Também não deve ser utilizado em doses altas em casos de hemorragias, qualquer que seja a sua origem (mesmo traumática). É também desaconselhado durante o período menstrual Bibliografia:

NUNES João R., 'Medicina popular - Tratamento pelas plantas medicinais', Litexa Editora, Setembro 1999

CHAVES, António J. Leal - “Viva Melhor com as Plantas Medicinais” – Edições Une – 2008, “ Os Remédios da Natureza – Selecções Reader’s Digest.

Logo Site Projetar e Construir.jpg
LOGO FINANÇAS E CONTABILIDADE.jpg
LOGO SAÚDE EM FOCO.jpg
Logo_AgroNegócio_&_Veterinária_Miniatura
Logo Moda & Tecnologia Miniatura.png
Logo Educação Política miniatura.jpg

Empresas em Destaque