• A Folha do Vale - Jornal e Site

Aprenda a criar hábitos que mudarão a sua vida. PARTE II


Já imaginou, se todas as vezes que ligássemos uma lâmpada levássemos um choque?. Certamente executaríamos a ação com mais consciência e certamente mudaríamos alguma coisa para evitar ‘esse choque’.

Já imaginou se todas as vezes que sentíssemos desconfortos físicos devido a pratica de exercícios físicos conseguíssemos associar à imagem que projetamos de nós mesmo sendo quem verdadeiramente sabemos que somos/ ansiamos ser? Certamente será mais fácil manter o padrão de prática de exercícios, até que se torne tão automático e natural quanto o ato de respirarmos e nos alimentarmos.

Imagine se, todas as vezes que surgisse um desejo compulsivo por um determinado alimento que sabemos que mina nossa disposição e ânimo, trouxéssemos ‘automaticamente’ à mente alguma sensação / aroma ou um aspecto que nos desperte ‘repulsa’ e/ou ânsia, certamente passaríamos a considerar a ideia que ‘ingerir este alimento em questão com ressalvas e tenderíamos a ‘partir para outras opções que proporcionasse os mesmos benefícios que atribuímos a determinado alimento. Exemplo: O hábito de comer alimentos doces, em especial bolos, pode estar atrelado à experiências e sensações da infância: do cuidado da mãe/avó. Dos momentos descontraídos junto a familiares e amigos (Por isto existe a tendência de recorremos à comida quando sentimos certa frustração e deixamos de redirecionar isto à formação de novos e melhores hábitos de vida). Há quem utilize a frustração como um gatilho para executar determinados trabalhos, projetos e ações, e o fazem dentro de um tempo ‘record’. Alias a frustração pessoal, se devidamente gerenciada, pode ser uma excelente aliada no estabelecimento de uma nova consciência pessoal e consequentemente de um novo estilo de vida. E saber fazer isto com maestria é prova de uma amadurecimento emocional. É prova de autocontrole. Algo que devemos ter bem claro é que ‘Não importa como estamos e sim para onde vamos’. Quando vamos mal em alguma prova, é imaturo culparmos ‘nosso tutores’... ou as ‘situações’ que evidenciaram nossa necessidade de auto-aprimoramento. Isso se aplica em qualquer área da vida! Quem é sábio(a) aproveita ‘ a mensagem’ e busca executar ações que sabe que auxiliarão a produzir os resultados que busca (inclusive abandonando velhos hábitos).

O estabelecimento de hábitos está correlacionado a uma certa insatisfação/frustração com os resultados que obtemos em uma ou mais áreas da chamada roda da vida e ou com um anseio profundo de idealizar algo nobre.

Criar novos hábitos exige uma mudança de padrões de comportamentos pessoais. Partindo de uma intenção, um anseio por novos resultados, seguido de uma tomada de consciência para ‘interromper padrões mentais/emocionais .

Quando tomamos uma decisão profunda de nos aprimorarmos, estamos a contribuir ‘para a evolução’ do mundo. De forma direta e indireta. Lendo o conteúdo escrito nas páginas 12 e 13 desta edição poderemos compreender uma pouco mais ‘o desdobramento’ e a repercussão que nossas escolhas e ações podem manifestar no mundo.

Nossas finanças e a forma como lidamos com o dinheiro que recebemos são fruto de nossas crenças e hábitos. Nossa disposição física, emocional e metal também são. Para nos sentirmos entusiasmados, felizes, motivados ou deprimidos/ angustiados executamos um determinado padrão comportamental que nos conduz à estes determinados estados. Tudo esta em nossa mente! É a forma pela qual decidimos interpretar determinado ‘fatos’, ’situações’, ‘acontecimentos’ ou ‘comportamento que predirão as ‘atitudes’ que executaremos.

‘O mundo está repleto de lições!’ Mas, é essencial assimilarmos isto!. Todos nós estamos aqui para evoluir, em todos os planos. E todos os desafios podem ser usados como uma alavanca para ‘um salto quântico’.

Todas as vezes que nos conduzimos à estados negativos de consciência, e permanecemos neste, estamos a gerar caos ao mundo, e todas as vezes que ressignificamos experiências e situações estamos a nos permitir a manifestar um pouco de luz e consciência - pessoal e planetária! Quanto ‘pior’ for considerado uma situação, mais ‘potencial’ há para se produzir algo de positivo. Tome como exemplo a simbologia da lótus. Tome como exemplo a simbologia do Carvalho! Notavelmente, esta é uma ‘crença’ que pode produzir resultados memoráveis em nossa vida pessoal, social, familiar, financeira, material. Isto acontece pois nossos hábitos/ comportamentos estão fortemente atrelados à nossas crenças pessoais! E a depender do tipo de crença que nutrimos acerca de nosso potencial e sobre o mundo será mais fácil ou desafiador estabelecer um novo padrão de comportamento. Tendemos a aceitar ‘lições de vida’ com mais facilidade, se elas partem de pessoas que passaram por situações desafiadoras... por situações que ansiamos ultrapassar. Porém a mudança pessoal será mais desafiadora se nutrirmos um senso de ‘vergonha’ e/ou ‘não merecimento’ (Veja o conteúdo da página 12 e 13). MUDANDO HÁBITOS. MUDANDO VIDAS 1) Pensemos em um Hábito/Padrão de comportamentos e resultados que julgamos negativo e desejamos mudar. 2) O que faz com que manifestemos este comportamento e/ou resultado? 3) Como, especificamente esta situação/ acontecimento gera o padrão de comportamento que resulta naquilo que desejamos mudar? 4) Quais são os benefícios/ recompensas por trás disso? Afinal; todos os nossos hábitos possuem de forma consciente e inconsciente uma intenção positiva! TODOS. Por isto é importante analisarmos: 5) Quais são as crenças que ‘sustentam’ essa reação? 6) Quais crenças/escolhas podemos atrelar à determinados fatos/situações a fim de produzir estados de consciência mais positivos que sustentem uma mudança de comportamento pessoal? 7) Qual é a melhor maneira de manter os benefícios que obtenho com o hábito antigo que desejo mudar? Nota: Os ‘benefícios’ velados de um habito negativo ou padrões de autossabotagem podem ser: ‘Segurança’ (nas suas diversas manifestações), Apoio/ Afeto/ Atenção/ Amor incondicional/ Descanso / Lazer. 8) Como seria poder escolher e executar uma nova atitude postura? 9) Que ação posso executar neste exato momento para sustentar uma mudança de consciência pessoal? 10) Quem e o que poderia contribuir para este processo? De que forma? 11) Como posso, implementar diariamente esta ‘mudança pessoal’ em minha vida, dentro de um prazo de 21 dias? Dica: Desenvolva uma grande e brilhante representação mental do ser que você pode ser e ou se tornar, ao estabelecer um ‘novo padrão e vida’ e sobreponha ao estado de consciência que despertava o antigo padrão de comportamento. Como se fossem duas sequências cinematográficas se intercalando. Substituindo o padrão ‘antigo’ pela nova representação que deseja em sua vida. Na área de neurolinguística o processo é denominado de ‘ Swish’. PADRÕES A SEREM TRABALHADOS: 1) Sou uma divina manifestação de consciência. 2) Posso e escolho desenvolver novos e melhores padrões mentais, emocionais e comportamentais que contribuam para o meu bem estar e da humanidade. 3) Estou em segurança. Posso melhorar continuamente. Opto em desenvolver um novo estado de consciência que confira mais clareza sobre minha real missão neste mundo. 4) Escolho amar, aceitar, abençoar e liberar quem fui, quem sou e quem hei de ser. Compreendo que todas as situações e escolhas me trouxeram até este momento... portanto, agradeço.

Conteúdo Publicado na Ed.093 do Jornal A Folha do Vale

Agenda Digital da Cidade

Logo Site Projetar e Construir.jpg
LOGO FINANÇAS E CONTABILIDADE.jpg
LOGO SAÚDE EM FOCO.jpg
Logo_AgroNegócio_&_Veterinária_Miniatura
Logo Moda & Tecnologia Miniatura.png
Logo Educação Política miniatura.jpg

Empresas em Destaque

1/6

1/2

1/1

1/4