top of page
GUPET.jpg
MÍDIA DA CASTERLEITE ATUALIZADA_edited.jpg
95090b_c4ed513d5c6c4c7ab4c88326c9ab528b~mv2.png
MIDIA JORNAL A FOLHA DO VALE DISK PRÁTIC
Guia Digital da Cidade_edited.jpg
Mandala%20do%20L%C3%ADrio_edited.jpg

Integração Ativa, no Guia Digital da Cidade:

Plástico biodegradável feito de cacto é desenvolvido por pesquisadores mexicanos


A procura por substitutos biodegradáveis do plástico é urgente, visto que, justamente por ser tão utilizado – e por levar século e séculos para se decompor – o plástico é um dos piores inimigos do meio-ambiente. Pesquisadores da Universidade do Vale de Atemajac, no México, criaram uma espécie ecológica de plástico, desenvolvida a partir de um cacto – que traz diversas vantagens em relação ao material tradicional.



Além de ser feito a partir de uma matéria-prima natural e biodegradável, o plástico de cacto não representa perigo de intoxicação em caso de ingestão – e evidentemente se desfaz muito mais rapidamente que os plásticos comuns, feitos a partir de combustíveis fósseis como o petróleo. Uma das principais vantagens, porém, é o plantio do próprio cacto – que nasce em terras não necessariamente destinadas à alimentação, e em locais áridos e pouco férteis.


O plástico de cacto é produzido a partir das folhas da planta, transformadas através de um processador em um denso líquido verde. Em seguida esse “suco de cacto” é misturado com outros produtos naturais e enfim processado – e transformado no plástico natural. O cacto utilizado para a feitura experimental foi o Figueira da Índia, típico do estado de Jalisco, onde fica a universidade.



O cacto não exige fertilizantes ou outros estimulantes químicos para crescer, e suporta as mais adversas condições de clima e temperatura – até mesmo a falta de água – para crescer. Nasce, assim, um plástico totalmente natural, de produção simples e barata – e que não agride a natureza.




Fonte: Vitor Paiva // Hypeness


P.09 DA ED_edited.jpg
bottom of page