• Silvana Teixeira

Hidroponia: uma técnica de cultivo vantajosa e promissora


A hidroponia é um sistema de cultivo em que as plantas se desenvolvem sem a utilização de solo, sendo alimentadas através de uma solução nutritiva, ou seja, em água, onde são dissolvidos sais contendo os nutrientes essenciais para as plantas. No sistema hidropônico, podem ser produzidas hortaliças, frutas, flores, cereais e plantas medicinais. Em geral, dá-se o nome de cultivos hidropônicos àqueles em que a nutrição das plantas é feita por meio de uma solução aquosa que contém todos os elementos essenciais ao crescimento em quantidades e proporções definidas e isentas de quantidades elevadas de elementos potencialmente tóxicos. Trata-se de uma técnica com bastante aplicação em pequenas propriedades, permitindo uma produção mais intensiva. Pode ser feita em áreas urbanas, e em locais com sérias restrições à agricultura, como solos muito pobres, regiões áridas, áreas muito inclinadas entre outras. Também, tem sido empregada com sucesso em projetos sociais, onde se procura resgatar a dignidade e melhorar as condições de vida das pessoas.


“Para que o cultivo dê certo, no entanto, é necessário se fazer o manejo da solução nutritiva, através do controle do pH e da condutividade elétrica da água onde as plantas serão desenvolvidas, fazendo a troca da mesma com seis a oito semanas de uso.”, afirma o professor José Damião de Jesus Filho, do curso Hidroponia – Cultivo sem Solo, elaborado pelo CPT – Centro de Produções Técnicas. Luminosidade A luminosidade adequada é essencial para o crescimento e a produção das plantas. O manejo da luminosidade é feito a partir da seleção do local de instalação da estufa, pois dependendo da cultura olerícola, algumas técnicas têm que ser utilizadas. Temperatura Baixas temperaturas da solução nutritiva impedem a absorção de água e nutrientes, podendo causar murchamento e clorose. Por outro lado, altas temperaturas, também, causam danos. Níveis acima de 38°C prejudicam o desenvolvimento das plantas. Condutividade elétrica da água É muito importante que o produtor hidropônico tenha conhecimento da qualidade química e biológica da água que é ou será utilizada no cultivo. O ideal para o cultivo hidropônico é que a água tenha condutividade elétrica inferior a 0,50 mS/cm. Solução nutritiva A composição da solução nutritiva, de modo a fornecer às plantas todos os nutrientes essenciais, na quantidade certa, é o ponto-chave da hidroponia. Atualmente, são encontradas no mercado brasileiro misturas de sais (fertilizantes) já elaboradas para o uso na hidroponia, contendo todos os nutrientes essenciais, principalmente, para o cultivo de alface.


No entanto, a fim de se garantir o sucesso do empreendimento, evitando-se perda de dinheiro e desperdícios, outras precauções devem ser consideradas antes de se iniciar o negócio. Somente assim, se poderá garantir a estabilidade e permanência do negócio no mercado. Vejamos: 1- A empresa deve produzir o que pode ser vendido, ou seja, deve atender às necessidades dos seus clientes. Para conhecer essas necessidades, é preciso que se realize uma pesquisa de mercado, antes de iniciar o processo produtivo. 2- Para ter sucesso na comercialização, é importante que o produto tenha boa qualidade e atenda à necessidade do cliente, que tenha preço adequado, seja comercializado em pontos frequentados por clientes potenciais e que seja adequadamente promovido, incentivando-se a compra. 3- Os locais de venda dos produtos hidropônicos são os supermercados, as quitandas, feiras, restaurantes, cozinhas industriais, lanchonetes, cestas entregues em domicílio, dentre outros. Portanto, ofereça seu produto e crie uma carteira fiel de clientes. 4- Para atender aos diferentes mercados, na quantidade combinada, é preciso que se planeje a produção, fazendo plantios escalonados, de forma a colher a quantidade que precisa num determinado espaço de tempo. O escalonamento possibilita, também, a constância na oferta, que é um fator muito importante para que se mantenha no mercado. 5- O preço deve ser adequado e justo. É preciso avaliar os custos, para definir um preço que produza lucro, mas, também, é preciso monitorar o preço da concorrência. Além dos custos, o preço deve considerar o quanto o público está disposto a pagar pelo seu produto. Este não deve ser nem barato demais, nem caro demais, deve, sim, ser um preço justo. 6- Escolha uma marca para seus produtos, para que possam ser prontamente reconhecidos pelos clientes. Escolha um nome curto e fácil de memorizar. E, após defini-lo, registre-o para assegurar seus direitos. 7- Procure sempre melhorar e inovar seu produto, antecipando as necessidades do cliente. Anuncie e destaque as melhorias. Na propaganda, é preciso destacar os pontos fortes do produto e, ou da empresa. Valorize os diferenciais do seu produto em relação aos concorrentes e destaque os atributos que os clientes mais valorizam na comparação com os concorrentes. Por exemplo, se você utiliza água pura e limpa da montanha, use isso como marketing, colocando essa informação no rótulo da embalagem.


8- Seja criativo inventando novas formas de comercializar seu produto, como é o caso de uma embalagem com vários tipos de verduras misturadas.


Fonte: SIlvana Teixeira | Cursos CPT

Logo Site Projetar e Construir.jpg
LOGO FINANÇAS E CONTABILIDADE.jpg
LOGO SAÚDE EM FOCO.jpg
Logo_AgroNegócio_&_Veterinária_Miniatura
Logo Moda & Tecnologia Miniatura.png
Logo Educação Política miniatura.jpg

Empresas em Destaque

1/6

1/2

1/1

1/4