top of page
Divulgação Pronac 2316326.jpg
Logo Site Projetar e Construir.jpg
LOGO FINANÇAS E CONTABILIDADE.jpg
LOGO SAÚDE EM FOCO.jpg
Logo_AgroNegócio_&_Veterinária_Miniatura
Logo Moda & Tecnologia Miniatura.png
Logo Educação Política miniatura.jpg
Guia Digital da Cidade_edited.jpg

Integração Ativa, no Guia Digital da Cidade:

GUPET.jpg
  • Daniel Salgado Xavier

Os benefícios da hidroterapia para o tratamento de doenças


Muita gente confunde hidroterapia com hidroginástica. Ambas têm em comum a realização na água, mas possuem finalidades diferentes. A hidroginástica é uma atividade física realizada em piscina aquecida, que proporciona condicionamento físico geral, fortalecimento muscular e melhora da resistência cardiorrespiratória através de uma sequência de exercícios rítmicos executados numa intensidade moderada e de forma ininterrupta. A hidroterapia, por sua vez, é um recurso da fisioterapia que utiliza as propriedades da água na prevenção e no tratamento de diversas patologias. Consiste na realização de exercícios específicos em piscina coberta e aquecida, visando obter uma melhor e mais rápida recuperação do paciente. Entre seus benefícios, destacamos o relaxamento muscular, alívio da dor, diminuição de edemas, ganho de amplitude de movimento e ganho de força muscular. A hidroterapia é indicada para todas as áreas da fisioterapia que envolvem problemas de ordem traumato-ortopédicos, esportivos, neurológicos, reumáticos, estéticos e etc. As indicações mais comuns são lombalgias, cervicalgias, artrose, bursites, hérnia de disco, AVC, paralisia cerebral, lesões traumáticas como entorses, fraturas, luxações, pré e pós-operatórios, entre outros. O tratamento é realizado por um fisioterapeuta que, após avaliação, determina as metas e condutas a serem seguidas de forma a acelerar e facilitar a reabilitação. Uma grande vantagem da reabilitação na água é a diminuição do peso corporal, que permite uma maior liberdade de movimento, possibilitando trabalhar grandes grupos musculares em amplitudes e direções diferentes de forma segura. A água é um dos meios de cura, um veículo de calor ou frio para o corpo. Aplicada ao corpo, opera nele modificações que atingem, em primeiro lugar, o sistema nervoso, o qual, por sua vez, age sobre o aparelho circulatório, produzindo efeitos sobre regularização do calor corporal. As reações da aplicação da água são, portanto, três: nervosa; circulatória e térmica. O sistema nervoso sensitivo, excitado na totalidade das suas ramificações periféricas, é estimulado e melhorado nas suas funções, produzindo, no indivíduo, uma sensação de bem estar, e a pessoa se sente reanimada, alegre disposta para o trabalho. O sistema nervoso recupera o seu tom. Por isso se pode dizer que a água fria é um tônico para o sistema nervoso. A Fisioterapia utiliza diferentes combinações de exercícios na água quente e fria, tornando a utilização da água, tanto em piscinas quanto em banheiras terapêuticas, um dos recursos mais famosos e utilizados por profissionais fisioterapeutas pelas suas propriedades físicas, além de proporcionar prazer ao paciente. O valor da água na vida é reconhecido praticamente por todas as culturas. Já os médicos egípcios - que eram também sacerdotes, astrônomos e artistas - atribuíam grande importância a diversas medidas de higiene relacionadas com a alimentação, vestuário, ginástica e aplicações hidroterápicas. A prática da hidroterapia (do grego hydro, "água" e therapeia, "cura"), também é indicada por vestígios de instalações de higiene proto-indianas (2500 a.C.) e dos banhos caldeus. A noção de que água integra a composição do corpo e do universo ocorre simultaneamente nas civilizações orientais da China e Índia. Segundo essas culturas, tudo o que existe resulta de uma relações entre os cinco elementos: água, ar, terra, fogo e éter (na Índia) ou madeira (na China). Os gregos reconheciam apenas quatro elementos (água, fogo, terra e ar). Sítios arqueológicos gregos incluem locais de banhos e há numerosas referências às virtudes curativas da água.

Dicas importantes Algumas indicações para a hidroterapia: - Gestantes, obesidade e terceira idade. - Artrose, osteoartose, osteopenia e artrites. - Mal de Parkinson e fibromialgia. - Treino de marcha, equilíbrio e coordenação. - Hérnia discal, espondilolistese, compressões ciáticas. Lordoses, escoliose e cercicalgias. - Lesões de ombro, cotovelo, coluna, quadril, joelho, tornozelo e pé. - Atrofias musculares e limitações de ADM Contraindicações - Pacientes com cateteres e sondas - Micoses e infecções genitais - Feridas abertas ou não cicatrizadas - Disfunções urinárias e intestinais - Equipamentos Utilizados Infraestrutura

- A piscina deve ser coberta e aquecida (33 – 35ºC) para um tratamento adequado; - O ideal é que a água seja tratada através de um Processo de Salinização (SEM CLORO), o mais indicado pelos dermatologistas; - A iluminação apropriada, ambiente climatizado, som relaxante e uma equipe de profissionais capacitados promovem o bem estar e um tratamento eficiente.

Fonte: Daniel Salgado Xavier | Portal Educação


bottom of page