top of page
GUPET.jpg
MÍDIA DA CASTERLEITE ATUALIZADA_edited.jpg
95090b_c4ed513d5c6c4c7ab4c88326c9ab528b~mv2.png
MIDIA JORNAL A FOLHA DO VALE DISK PRÁTIC
Guia Digital da Cidade_edited.jpg
Mandala%20do%20L%C3%ADrio_edited.jpg

Integração Ativa, no Guia Digital da Cidade:

Em Aripuanã Segunda fase da campanha contra sarampo será focada em pessoas de 20 a 29 anos de idade

A Secretaria Municipal da Saúde de Aripuanã realiza a segunda fase da campanha contra o Sarampo, que vai até o dia 30 de novembro. Nesta etapa, o público-alvo é formado por pessoas de 20 a 29 anos. Nesta faixa etária é preciso ter duas doses da vacina tríplice viral, que protege contra sarampo, caxumba e rubéola, com intervalo mínimo de 30 dias entre elas.


Para se imunizar basta se dirigir a um dos Postos de Saúde da Família (PSF) do município para atualização da caderneta. Essa é a forma mais eficaz de evitar a disseminação do sarampo.


Caso o munícipe não tenha a comprovação vacinal, deverá receber a primeira dose da vacina durante a campanha e a segunda será agendada com o intervalo de 30 dias da primeira. Se o adulto jovem tiver recebido apenas a primeira dose do tríplice viral ao longo da vida, receberá a segunda dose durante a campanha. Leve a caderneta de vacinação para que o profissional de saúde avalie a situação vacinal.


Sarampo é uma doença altamente contagiosa causada pelo vírus do sarampo (Measles morbillivirus). Os sinais e sintomas iniciais geralmente incluem febre, muitas vezes superior a 40 ºC, tosse, corrimento nasal e olhos inflamados. Dois ou três dias depois do início dos sintomas formam-se no interior da boca pequenos pontos brancos, denominados sinais de Koplik. Entre três a cinco dias depois do início dos sintomas aparece uma mancha vermelha e plana que geralmente tem início na face e daí se espalha para o resto do corpo. Os sintomas começam-se a manifestar entre dez e doze dias depois do contágio e duram entre sete a dez dias.


A vacina contra o sarampo é eficaz na prevenção da doença. Atualmente, cerca de 85% das crianças em todo o mundo são vacinadas. A vacinação diminuiu em 75% o número de mortes por sarampo entre 2000 e 2013. Não existe tratamento específico. Os cuidados de apoio podem melhorar o prognóstico.



P.09 DA ED_edited.jpg
bottom of page