top of page
GUPET.jpg
MÍDIA DA CASTERLEITE ATUALIZADA_edited.jpg
95090b_c4ed513d5c6c4c7ab4c88326c9ab528b~mv2.png
MIDIA JORNAL A FOLHA DO VALE DISK PRÁTIC
Guia Digital da Cidade_edited.jpg
Mandala%20do%20L%C3%ADrio_edited.jpg

Integração Ativa, no Guia Digital da Cidade:

Netflix exibe 1ª série realizada com Língua Brasileira de Sinais


“Num universo onde o som não existe, jovens surdos enfrentam os desafios de uma sociedade desenhada apenas para ouvintes”. A sinopse da nova série brasileira do Netflix não poderia ser mais precisa, ao descrever não só a própria narrativa como o motivo pelo qual trata-se de uma novidade importante e sem precedentes: Crisálida é a primeira produção de ficção bilíngue brasileira, contada tanto em português quanto em Libras, a língua brasileira de sinais, abordando a diversidade e a experiência da cultura surda no sul do país.

Os dilemas e sutilezas familiares, sociais, culturais e emocionais da vida de pessoas surdas são retratados nos quatro episódios da série, que estreou na plataforma no último dia 01 de maio.

De autoria de Alessandra da Rosa Pinho, aluna de Letras Libras da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Crisálida foi criada em 2014, quando foi primeiro desenvolvida como filme, vencedor de diversos fundos e prêmios.

Em 2016 o projeto foi transformado em quatro episódios de 30 minutos, e a primeira temporada foi licenciada para a TV Cultura. Cada episódio da série retrata uma história e um universo independente, não exigindo, assim, que todos os episódios sejam assistidos cronologicamente.

Com linguagem ousada e realista, a série pretende modificar a maneira com que os surdos são retratados e percebidos pelo público brasileiro – trata-se, afinal, de fatia substantiva da população, com toda singularidade e especialidade: são, segundo o IBGE, cerca de 10 milhões de surdos no Brasil.


P.09 DA ED_edited.jpg
bottom of page