top of page
Divulgação Pronac 2316326.jpg
Logo Site Projetar e Construir.jpg
LOGO FINANÇAS E CONTABILIDADE.jpg
LOGO SAÚDE EM FOCO.jpg
Logo_AgroNegócio_&_Veterinária_Miniatura
Logo Moda & Tecnologia Miniatura.png
Logo Educação Política miniatura.jpg
Guia Digital da Cidade_edited.jpg

Integração Ativa, no Guia Digital da Cidade:

GUPET.jpg
  • A Folha do Vale - Jornal e Site

Mindfulness ou atenção plena é um estado mental que pode ser praticado


Mindfulness ou atenção plena é um estado mental que pode ser praticado através da meditação e de outras técnicas.
A definição acima é de Jon Kabat-Zinn, professor emérito da Universidade de Massachusetts que em 1979 recrutou pacientes com doenças crônicas que não estavam respondendo bem aos tratamentos tradicionais para participar de seu recém-formado programa de redução de estresse de oito semanas, hoje conhecido como Redução de Estresse Baseada em Mindfulness (MBSR, na sigla em inglês).
Desde então, pesquisas substanciais têm demonstrado como as intervenções baseadas em mindfulness melhoram a saúde mental e física - comparativamente a outras intervenções psicológicas.
Esse estado de atenção plena da mente pode ser praticado através da meditação mindfulness, cujas práticas incluem meditação, escaneamento corporal e respiração atenta. A ideia da prática é alcançar a habilidade presente em todo ser humano da concentração destinada a focar a atenção exclusivamente no que se está fazendo.
Mas meditar não é a única forma de se atingir ou praticar a atenção plena. Mesmo um gesto simples como respirar fundo e contar até cinco ou dez pode ajudar a pessoa a retomar o foco no aqui e agora. As distrações são naturais da mente humana, mas o exercício de colocar a atenção no presente é benéfico para a mente.
A psicóloga Cristina Monteiro, em entrevista ao Jornal da USP, explica que o mindfulness é "uma prática espiritual milenar que alinha fundamentos da filosofia oriental — o budismo — aos conhecimentos das estratégias da ciência objetiva ocidental”.
A atenção plena pode gerar uma diminuição do estresse e da ansiedade, uma vez que a atividade afeta positivamente os padrões cerebrais responsáveis por esses sintomas. Cristina explica que há semelhanças entre a prática, que pode ser feita no cotidiano, e a Terapia Cognitiva Comportamental. No mindfulness, porém, a ideia não é mudar o conteúdo dos pensamentos. “A técnica trabalha no sentido da experiência, de compreender a transitoriedade dos estados mentais e não se deixar conduzir por eles.”
Os benefícios da prática de mindfulness vão desde a prevenção da depressão e a redução das chances de recaída nas pessoas que já sofreram com a doença até melhora da memória e da criatividade. “Gera reações menos automáticas e menos julgamentos, um aumento da autonomia e é tido como um componente central da chamada Terapia Comportamental Dialética, muito efetiva para redução do comportamento suicida no Transtorno de Personalidade Borderline.”
A psicóloga explica que o mindfulness é uma ferramenta a mais que pode ser usada para o autocuidado. “Quanto melhor pudermos cuidar de nós mesmos, melhores serão nossos resultados na vida pessoal e profissional. Cuidar de si é cuidar dos ambientes que habitamos e dos relacionamentos envolvidos, gerando uma resiliência ao sistema todo”, afirma Cristina.
bottom of page