top of page
GUPET.jpg
Logo Site Projetar e Construir.jpg
LOGO FINANÇAS E CONTABILIDADE.jpg
LOGO SAÚDE EM FOCO.jpg
Logo_AgroNegócio_&_Veterinária_Miniatura
Logo Moda & Tecnologia Miniatura.png
Logo Educação Política miniatura.jpg
MÍDIA DA CASTERLEITE ATUALIZADA_edited.jpg
95090b_c4ed513d5c6c4c7ab4c88326c9ab528b~mv2.png
MIDIA JORNAL A FOLHA DO VALE DISK PRÁTIC
Guia Digital da Cidade_edited.jpg
Mandala%20do%20L%C3%ADrio_edited.jpg

Integração Ativa, no Guia Digital da Cidade:

Reeleição em Juína é quase sempre descartada na história do município

Prefeito eleito ja fez a nomeação da equipe de transição


O atual prefeito de Juína, Altir Peruzzo (PT) tem uma avaliação positiva da sua administração de acordo com uma pesquisa, o que de certo modo é bem contraditório, pois, todos sabem que uma administração bem avaliada é bem votada, todavia, no caso de Juína, a tal reeleição de todos os prefeitos sempre foram problemáticas.

O único prefeito reeleito em sequência de mandato em Juína, foi o ex-prefeito Ságuas Moraes (PT), ou qual, no seu segundo mandato de prefeito saiu candidato para deputado estadual, e assim deu continuidade ao seu segundo mandato, o atual prefeito Altir Peruzzo, o qual na época foi a reeleição e perdeu para o pioneiro Hilton Campos.

Deste a eleição de Ságuas de Moraes, o Partido dos Trabalhadores (PT) alterna um mandato sim e outro não, em disputa com a oposição liderada normalmente com o pioneiro Hilton Campos, o qual para ele, o PT nem deveria voltar mais ao poder na localidade, comenta o mesmo.


O atual prefeito eleito, Paulo Veronese, teve a sua base de articulação formada por Hilton Campos, Genésio Bôer e aliados do falecido ex-prefeito Hermes Bergamin (in memoriam), de certo modo uns ferrenhos opositores ao Partido Trabalhistas (PT).


Tanto é, que o grupo formado de transição de administração é composto por pessoas que já fizeram parte da administração pública na época do ex-prefeito Hilton Campos e outros na época do ex-prefeito Hermes Bergamin (in memoriam), que são André Felipe de Arruda Sales, Ericsson Leandro de Oliveira, e Elzane de Souza Dias Jocemir Correia e Robson Amorim Machado.


Essa equipe de transição de certo modo pode ate ser nos moldes da a Lei Federal nº 10609/2002 que regulamenta a transição para presidente da republica, bem como, na resolução normativa nº 19/2016 do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso (TCE), todavia, compete ao prefeito em exercício regulamentar a lei que regulamenta a equipe de transição, a qual deve tomar ciência de todas as ações públicas que a atual administração está efetuando, para que a próxima administração possa iniciar sem surpresas e sem dificuldades.


Pois, compete ao Prefeito que está deixando o cargo regulamentar o processo de transição. Temos de lembrar que não há regulamentação nacional sobre o tema, tendo em vista a autonomia administrativa dos entes federados (Art. 18 – A organização político-administrativa da República Federativa do Brasil compreende a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, todos autônomos nos termos desta Constituição). Assim, os municípios estão livres para regulamentar o processo de transição conforme sua realidade.


Para o ex-prefeito Hilton Campos, o atual prefeito deve fazer uma ótima administração que possibilite ao Partido Trabalhista nem voltar administrar o município, pelo menos essa é a esperança do pioneiro Hilton.

De certa maneira, a perda da eleição pelo PT era esperada pela história das reeleições, independente do trabalho da atual administração, no entanto, a diferença de votos foi surpreendente, pois, o prefeito eleito teve mais de 4.000 (quatro mil) votos de vantagem, sendo que o prefeito eleito, Paulo Veronese obteve 12.057 votos, enquanto, o atual prefeito Altir Peruzzo obteve 8.004 votos, evidentemente, mais de 9.000 (nove mil) eleitores deixaram de comparecer às urnas.


A composição partidária do prefeito eleito, fez a maioria dos vereadores que estará presente no poder legislativo a partir de 2021, como pode conferir abaixo:


Delei Locutor do PODE com 907 votos, que corresponde a 4,42% dos votos válidos;


Carequinha do DEM com 723 votos, que corresponde a 3,53% dos votos válidos;