top of page
GUPET.jpg
MÍDIA DA CASTERLEITE ATUALIZADA_edited.jpg
95090b_c4ed513d5c6c4c7ab4c88326c9ab528b~mv2.png
MIDIA JORNAL A FOLHA DO VALE DISK PRÁTIC
Guia Digital da Cidade_edited.jpg
Mandala%20do%20L%C3%ADrio_edited.jpg

Integração Ativa, no Guia Digital da Cidade:

CNM reforça orientações sobre doação de sangue após imunização e infecção da Covid-19


A pandemia da Covid-19 promoveu uma série de mudanças na doação de sangue em todo o Brasil. Além da inclusão de novos critérios de elegibilidade dos candidatos, medidas preventivas foram incorporadas à rotina dos postos.

Para auxiliar no esclarecimento da população, o Projeto Rede de Municípios Doadores, em fase de desenvolvimento pela Confederação Nacional de Municípios (CNM), vem reforçar alguns pontos:

São impedidos de doar sangue os diagnosticados com Covid-19, durante 30 dias após o fim dos sintomas. Os recém-vacinados contra a Covid-19 devem aguardar o período entre dois a sete dias para doar sangue, de acordo com o imunizante: Coronavac: podem doar sangue 48 horas após a dose da vacina. AstraZeneca, Pfizer ou Janssen: precisa esperar sete dias para fazer a doação. A especificação vale para a primeira e para a segunda dose ou dose única. Para doar, é importante estar com o comprovante da vacina.

Rede de Municípios Doadores

O Projeto Rede de Municípios Doadores, que busca fomentar as doações de sangue em todo país, sabe das dimensões sociais que este tipo de ação tem na tomada de consciência de uma sociedade. Além disso, o projeto auxilia nos esclarecimentos de dúvidas acerca da temática e acredita que, com o avanço da imunização da população contra a Covid-19, a expectativa é positiva para o aumento no número de doações de sangue, um ato de cidadania e de responsabilidade social.


Agência CNM




Comments


P.09 DA ED_edited.jpg
bottom of page