top of page
GUPET.jpg
Logo Site Projetar e Construir.jpg
LOGO FINANÇAS E CONTABILIDADE.jpg
LOGO SAÚDE EM FOCO.jpg
Logo_AgroNegócio_&_Veterinária_Miniatura
Logo Moda & Tecnologia Miniatura.png
Logo Educação Política miniatura.jpg
MÍDIA DA CASTERLEITE ATUALIZADA_edited.jpg
95090b_c4ed513d5c6c4c7ab4c88326c9ab528b~mv2.png
MIDIA JORNAL A FOLHA DO VALE DISK PRÁTIC
Guia Digital da Cidade_edited.jpg
Mandala%20do%20L%C3%ADrio_edited.jpg

Integração Ativa, no Guia Digital da Cidade:

Imagina receber para manter a floresta, Porto dos Gaúchos lidera nessa iniciativa

Primeiramente é uma situação lamentável um proprietário de terra investir um recurso considerável numa propriedade, mas a lei limita a quantidade de terra que ele pode trabalhar com o gado, soja, milho, algodão e outras atividades agrícolas, e a maioria ou boa parte da propriedade deve ficar praticamente sem retorno algum por longos anos.



Claro que muitos dirão que mesmo o mato em pé pode ser uma fonte de renda com um manejo sustentável, produção de ervas medicinais e outras atividades que nem precisa derrubar a floresta, o que é uma verdade, mas mesmo para essas atividades de manejos sustentável deve haver grandes investimentos que a curto e médio prazo nem é lucrativo, pelo contrário, portanto, essas iniciativas deveriam terem no início ações de mecanismos governamental visando subsidiar e facilitar aos proprietários com manejos e projetos subsidiados pelo estado e acompanhando por profissionais que saibam de fato tornar a preservação ambiental de fato sustentável a todos.


Todos sabem da necessidade de preservar o meio ambiente, todavia, todos que investem num pedaço de terra espera ter retorno financeiro daquele investimento, por outro lado, países e proprietários que desmataram praticamente toda a sua propriedade podem reflorestar partes ou mesmo pagar à outros países e proprietários para quem mantenham suas florestas em pé e seja ao mesmo tempo rentável aos proprietários.


No Vale do Arinos o município de Porto dos Gaúchos é um destaque na produção da soja, milho e outras produções que movimenta o agronegócio, sendo um dos municípios melhores em destaque em produção, ou seja, entre os 141 municípios no estado, Porto dos Gaúchos figura entre os primeiros 10 em competividade de produção do agro.


Dessa vez, Porto dos Gaúchos também passa a ser destaque na região pois tem a primeira propriedade que vai receber recursos para manter uma parte de sua propriedade em floresta, uma iniciativa inovadora que pode ser ampliada para diversos proprietários na região do Vale do Arinos e Vale do Juruena, obviamente essa é uma ação que começa agora, e quem sabe os valores nem são tão compensatórios, mas com certeza a médio e a longo prazo os proprietários que tiverem boa parte de suas propriedades em florestas poderão receber valores ate maiores do que se estivessem produzindo gado, soja, milho, algodão, etc, etc.



A secretária de meio ambiente e turismo de Porto dos Gaúchos, Andyra Piovesan comemorou esse marco inicial para a localidade, pois, mais uma vez coloca a localidade como destaque em mais uma ação importante, dessa vez visando a preservação ambiental de modo sustentável, confira o programa da TV local a onde gravação que a TV Porto a partir de 49 minutos registrou essa iniciativa que é importante para todos.


O prefeito municipal, Vanderlei de Abreu disse que:



Essa ação é muito importante para o nosso município, para a nossa região e para o Brasil, ao mesmo tempo, esses países que avançaram muito na escassez de florestas precisam subsidiar aos proprietários em nosso país para manterem suas florestas e auxiliar na qualidade de vida do planeta, somos campeão em produção, mas temos imensa área de floresta que precisa receber subsídios, pois nem faz sentido sermos obrigados a manter grandes áreas de florestas para termos uma qualidade de vida boa no planeta, enquanto em alguns países praticamente desmataram tudo, portanto, natural que esses países pague subsídios florestais aos proprietários no Brasil, e hoje temos um passo inicial neste sentido em nosso município, mas entendo que precisa ser ampliado, tanto para mais propriedades na região, bem como, nos valores e condições para ampliar a participação de muito mais proprietários, pois todos almejam e esperam que sua propriedade seja rentável para a sua qualidade de vida”, enfatizou o prefeito municipal, Vanderlei de Abreu.



Por: Maurilio Trindade Aun


Comentarios


P.09 DA ED_edited.jpg
bottom of page