top of page
GUPET.jpg
Logo Site Projetar e Construir.jpg
LOGO FINANÇAS E CONTABILIDADE.jpg
LOGO SAÚDE EM FOCO.jpg
Logo_AgroNegócio_&_Veterinária_Miniatura
Logo Moda & Tecnologia Miniatura.png
Logo Educação Política miniatura.jpg
MÍDIA DA CASTERLEITE ATUALIZADA_edited.jpg
95090b_c4ed513d5c6c4c7ab4c88326c9ab528b~mv2.png
MIDIA JORNAL A FOLHA DO VALE DISK PRÁTIC
Guia Digital da Cidade_edited.jpg
Mandala%20do%20L%C3%ADrio_edited.jpg

Integração Ativa, no Guia Digital da Cidade:

Médicas de Itanhangá participam de capacitação em Lucas do Rio Verde

Duas profissionais médicas clínicas geral do município de Itanhangá, Drª Daniâne Bêss e Drª Bruna Rocha, participaram nos últimos dias 03 e 10/08, do Curso de Manejo do Trauma, capacitação voltada para profissionais de saúde. O evento aconteceu no horário das 19:00 às 22:00, no Auditório dos Pioneiros no Paço Municipal de Lucas do Rio Verde.


O manejo do trauma é um curso baseado no Suporte Avançado ao Trauma, que é um protocolo criado pelo Colégio Americano de Cirurgiões que otimiza o atendimento ao trauma e comprovadamente diminui mortalidade. O curso contou com aulas teóricas e palestras sobre o manejo de via aérea, trauma de tórax, trauma de crânio e trauma medular.


De acordo com a neurocirurgiã, com atuação em traumas de crânio e coluna, Catarine Ottobeli, atualmente 60% das cirurgias do Hospital São Lucas são de urgência. “Quando idealizamos esse projeto, o nosso objetivo foi a demanda de trauma e a capacitação dos médicos, além de promover a interação entre os profissionais da área, a padronização de condutas e melhorias no atendimento das emergências de trauma”, pontua.


Outra idealizadora do curso é a cirurgiã geral, Luanna Itacaramby, que atua no Hospital Regional de Sorriso e Hospital São Lucas. Duplamente certificada em Suporte Avançado de Vida no Trauma (ATLS), pelo Colégio Brasileiro de Cirurgiões e American College of Surgeons Committee on Trauma, tendo sido monitora do curso.

De acordo com médica, o trauma é a principal causa de óbito em pessoas de 1 a 44 anos. Além disso, é a condição que mais traz morbidade, condição que o indivíduo fica após ao trauma não conseguindo atuar em suas atividades laborais.


O trauma (violência, acidentes automobilísticos, queimaduras, quedas de alturas etc.) é a condição que mais mata crianças a partir de um ano, adolescentes e adultos jovens; e quando não mata, tem um potencial de sequela para o resto da vida.


Fonte: Ascom Prefeitura de Lucas do Rio Verde



Comments


P.09 DA ED_edited.jpg
bottom of page