top of page
GUPET.jpg
MÍDIA DA CASTERLEITE ATUALIZADA_edited.jpg
95090b_c4ed513d5c6c4c7ab4c88326c9ab528b~mv2.png
MIDIA JORNAL A FOLHA DO VALE DISK PRÁTIC
Guia Digital da Cidade_edited.jpg
Mandala%20do%20L%C3%ADrio_edited.jpg

Integração Ativa, no Guia Digital da Cidade:

Sociedade mais equilibrada próspera a mediação, arbitragem e negociação

A turma de direito em Brasnorte, uma extensão do curso de direito do Campus Universitário de Barra do Bugres, da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), está agora cursando a disciplina que é trazido no título dessa publicação, ou seja, mediação e arbitragem e negociação de conflitos.



Se observa que a intenção do docente é de fato trazer aos futuros bacharéis de direito e pósteros advogados a importância desses conhecimentos e ferramentas de mediação, arbitragem e negociação visando solucionar muitos conflitos de maneira mais célere aos interessados, gerando menos processos no poder judiciário, ou seja, ajudando a desafogar os números exorbitantes de ações que cada juiz precisa julgar, ou mesmo, durante um processo no juizado especial, laçar mão destes conhecimentos para diminuir os conflitos e solucionar as demandas de maneira satisfatória a todos e de maneira mais rápida.



Obviamente, para isso se supõe uma sociedade mais equilibrada emocionalmente, pois divergir em algum negócio, ter problema em algum negócio, pensamentos e/ou ideias nem torna ninguém inimigo de ninguém, pelo contrário, as ideias e pensamentos contrários amadurecem e ajuda no desenvolvimento da sociedade e das negociações, por isso, a mediação, arbitragem e negociação fazem parte de uma sociedade mais madura e equilibrada, sem necessariamente a presença do poder de polícia e da tutela jurisdicional exercido pelo estado na solução de "conflitos".



O professor mestre em hermenêutica e direitos fundamentais e com especialidade em direito processual contemporâneo, Edmundo Gouvêa Freitas tem a missão quase impossível de trazer as teorias das leis 13.140/2015 e 9.307/1996 entre outras que permeia os conteúdos, aos acadêmicos e ao mesmo tempo, tornar essas teorias em práticas aos futuros bacharelados em direito no curso em Brasnorte em pouco mais de 15 dias de aulas.


Pois é quase unânime em todos os cursos superiores, que entre a teoria e a prática existe um grande abismo, e nessa primeira semana da matéria, após exposições de diversos temas, exemplos e regras que permeia a mediação, arbitragem e negociação, as tentativas de colocar a teoria em prática foi aventurada pelo docente visando tornar prática as teorias aos acadêmicos.


Nesse sábado, 11 de junho novamente a aventura de colocar a teoria em prática foi dado um pequeno passo novamente, todavia, entre assimilar os conteúdos que regulamenta essas atividades de mediação, arbitragem e negociação e depois colocar em prática num caso real, parece ser bem diferente de pegar um caso fictício e fazer um teatro sobre o fato, obviamente ajuda muito, todavia, exige muito mais do que de fato fosse uma atividade real numa prática exercida numa mediação ou numa arbitragem no dia a dia.



Contando com pouco menos da metade dos acadêmicos presente (o frio ou trabalho deve ter impedido a presença de alguns), mais teorias foram repassadas e a tentativa de se colocar em prática a teoria da heterocomposição foi buscado, nesse dia foi registrado em sala os acadêmicos presentes, inclusive com a acadêmica aniversariante do dia, Rosilene.


Por: Maurilio Trindade Aun


Yorumlar


P.09 DA ED_edited.jpg
bottom of page