top of page
GUPET.jpg
Logo Site Projetar e Construir.jpg
LOGO FINANÇAS E CONTABILIDADE.jpg
LOGO SAÚDE EM FOCO.jpg
Logo_AgroNegócio_&_Veterinária_Miniatura
Logo Moda & Tecnologia Miniatura.png
Logo Educação Política miniatura.jpg
MÍDIA DA CASTERLEITE ATUALIZADA_edited.jpg
95090b_c4ed513d5c6c4c7ab4c88326c9ab528b~mv2.png
MIDIA JORNAL A FOLHA DO VALE DISK PRÁTIC
Guia Digital da Cidade_edited.jpg
Mandala%20do%20L%C3%ADrio_edited.jpg

Integração Ativa, no Guia Digital da Cidade:

Teoria dos Setênios e a constante metamorfose dos seres humanos


0 a 7 anos - o ninho

A tarefa de nosso corpo é crescer, desenvolver os órgãos físicos e o pensar. A liberdade e as descobertas são primordiais para que a criança conheça seu corpo e suas limitações. A criança aprende tentando e errando, mas também imitando gestos, fala e atitude dos adultos ao seu redor.


07 a 14 anos - noção de pertencimento Momento de entender o limite do outro.

É nessa fase, de acordo com a Teoria dos Setênios, que nos damos conta de que o mundo não é igual para todos. As primeiras cobranças e normas são absorvidas. A arte, a cultura e a religião têm grande impacto nessa chamada fase do "sentir".


14 a 21 anos - crise de identidade

Nossas forças agora se espalham para os membros. Daí a necessidade de liberdade. Há uma maior autonomia de pensamento e a explosão hormonal, que mexem com nossa energia e são os causadores de eventuais rompimentos com os métodos vividos em família.


21 a 28 anos - o "eu"

Com o crescimento físico o 'eu' começa a se formar, somos mais influenciados pela sociedade. A Teoria dos Setênios ensina que o grande desafio dessa época é não deixar tal influência nos impedir de viver o que julgamos necessário para a nossa realização. Somos os donos do mundo.


28 a 35 anos - crises existenciais

A passagem da juventude para a maturidade abala, nos cobrando mais estrutura, base e pilares e, fisicamente, momento em que nossos ossos são o alvo. Vivenciamos esse período como renascimento, nos despojando do que já não nos serve e buscando nossa autonomia.


35 a 42 - crise de autenticidade

É um momento de reflexão a fim de buscar um sentido maior na vida, em nós e nos outros. Estamos "renascendo". As conquistas materiais - família, carreira e patrimônio já ocorreram, supostamente, gerando estagnação. Por isso é importante buscar aprender coisas novas.


42 a 49 - altruísmo

Já nos sentimos fortes o suficiente para enfrentar crises com mais facilidade e leveza. É como uma a nova adolescência cheia de antigas vontades que agora se tornam mais viáveis. Queremos mudanças, porém, a idade começa a nos assustar. Sinto que essa fase, principalmente para mim, foi muito importante. É uma fase do ápice da maturidade e de até mesmo de começar uma nova vida. Veja que interessante a visão geral que o médico antroposófico Ricardo Ghelman nos dá através da antroposofia aplicada na medicina, através da análise dos setênios de cada pessoa. É muito interessante! https://www.youtube.com/watch?v=kgp2nhSioks



49 a 56 anos - ouvir o mundo

Já nos conhecemos mais, sabemos de nosso lugar no mundo e na sociedade e por isso o nosso espírito volta-se a assuntos mais humanistas, morais e éticos. As aposentadorias ocorrem nesse período. Devemos nos preparar para esse momento e refletir no que faremos após para ainda nos sentirmos úteis e não velho, impotente, incapaz. 56 a 63 adiante - sabedoria Conforme a Teoria dos Setênios, no aniversário de 56 anos uma grande mudança ocorre. Em termos físicos tudo muda: a mobilidade, a audição e a visão. É importante manter atividades que estimulam os sentidos, principalmente a memória. A conhecida terceira idade chega para darmos uma freada na vida e aproveitar mais sem nos cobrarmos. Nós, seres humanos, estamos em constante metamorfose. Vamos usufruir desse presente da natureza!


E continua-se a sequência, sendo o próximo setênio associado à segunda infância, tempo de aprender, renovar-se, continuar a progredir em todos os aspectos. Transmitir a sabedoria adquirida, e continuar a aprender com tudo que promove o bem.



AudioLivros & Vídeos Saúde em Foco

Comments


P.09 DA ED_edited.jpg
bottom of page