top of page
GUPET.jpg
Logo Site Projetar e Construir.jpg
LOGO FINANÇAS E CONTABILIDADE.jpg
LOGO SAÚDE EM FOCO.jpg
Logo_AgroNegócio_&_Veterinária_Miniatura
Logo Moda & Tecnologia Miniatura.png
Logo Educação Política miniatura.jpg
MÍDIA DA CASTERLEITE ATUALIZADA_edited.jpg
95090b_c4ed513d5c6c4c7ab4c88326c9ab528b~mv2.png
MIDIA JORNAL A FOLHA DO VALE DISK PRÁTIC
Guia Digital da Cidade_edited.jpg
Mandala%20do%20L%C3%ADrio_edited.jpg

Integração Ativa, no Guia Digital da Cidade:

Vice-prefeito de Itanhangá se filia ao Partido Liberal


A atual dupla de administradores de Itanhangá agora militam no Partido Liberal (PL), a mesma sigla partidária que acolheu o Bolsonaro. O atual prefeito, Edu Pascoski desde o primeiro mandato já militava no Partido Liberal, enquanto o seu vice-prefeito, Emerson Sabatine militava no Partido Socialista Brasileiro (PSB).



Todavia, independente de sigla partidária, a atual dupla de administradores é a melhor na história da localidade, e a ideia da atual administração e ter continuidade dos trabalhos de desenvolvimento do município para além do atual mandato, para isso, o nome mais natural atualmente é o do vice-prefeito, Emerson Sabatine, tanto é que o atual prefeito pensando nisso já levou o mesmo para o Partido Liberal (PL).


Na visão do atual prefeito, Edu Pascoski, cada município tem sua realidade eleitoral, e no caso de Itanhangá na opinião do prefeito, a maioria dos eleitores são simpatizantes e defensores da candidatura de Bolsonaro, mesma opinião, em parte partilhada pelo atual vice-prefeito, Emerson Sabatine, aliás, a eleição de 2018 confirmou essa realidade.


O interessante do município de Itanhangá, o mesmo somente existe devido a um movimento de diversas famílias que se acamparam num movimento em busca de terra em meados de 1996 ao longo da rodovia da Baiana (MT 338) na altura do Rio Borges, um movimento que nunca foi ligado aos sem terras, mas era de famílias que lutavam por um pedaço de terra, sendo que alguns líderes do movimento em busca de um pedaço de terra ainda residem em Itanhangá, mas hoje qualquer movimento de “sem terras” é escorraçado pela maioria dos moradores da localidade, claro que muitos tem medo de perder o seu pedaço de terra.


Outro fato interessante, é que mesmo o municipio sendo oriundo de pessoas em luta por terra, por mais dignidade, por mais qualidade de vida, mesmo assim, na época da eleição para presidente, o Partido dos Trabalhadores (PT) foi o menos votado, assim como em praticamente todos os municípios no Mato Grosso.



Somente para lembrarmos, na época de votação do segundo turno para presidente, o município que possuía 4.421 eleitores, 2364 votos foram para o Bolsonaro, enquanto que o Haddat teve 601 votos, todavia, 1456 eleitores foram o somatória dos nulos, brancos e ausentes, portanto, diante da situação econômica que anda o país, além das situações que assola o governo de Bolsonaro, provavelmente os votos ao Bolsonaro na localidade dificilmente poderá ser superior ao ano de 2018, ate mesmo porque muitos que votaram brancos, nulos ou nem comparecem na eleição de 2018, nessa eleição de 2022 com certeza procurarão votar para a continuidade da situação econômica que se encontra hoje o país ou para uma possivel mudança, comenta alguns moradores.



Por outro lado, a reeleição recente do atual prefeito, que nem concorrente teve, registrou um aumento de eleitores na localidade, ou seja, atualmente o número de eleitores deve passar de 5 mil, pois na eleição de 2020 havia 4.998 eleitores, sendo que destes, comparecem 3.678 eleitores, dos quais 3118 votaram para a reeleição do atual prefeito, Edu Pascoski (PL) enquanto 264 votos nulos, 296 brancos e outros 1.320 eleitores nem compareceram para votar.


Todavia, independente de ser uma administração mais alinhada com o governo federal, é uma administração municipal que trabalha com transparência e sem perseguição a nem um grupo, é de fato uma das melhores administrações que a localidade teve até o momento, é uma das administrações que procura respeitar as opiniões dos moradores e dos eleitores sem procurar impor cabrestos com ideologias, é uma administração para todos, sem radicalismo, por isso, nem tiveram concorrentes na reeleição e se continuarem no mesmo ritmo, qualquer grupo de oposição que se levantar terão muita dificuldade para obter algum êxito eleitoral.


Por: Maurilio Trindade Aun





















Comments


P.09 DA ED_edited.jpg
bottom of page