top of page
GUPET.jpg
MÍDIA DA CASTERLEITE ATUALIZADA_edited.jpg
95090b_c4ed513d5c6c4c7ab4c88326c9ab528b~mv2.png
MIDIA JORNAL A FOLHA DO VALE DISK PRÁTIC
Guia Digital da Cidade_edited.jpg
Mandala%20do%20L%C3%ADrio_edited.jpg

Integração Ativa, no Guia Digital da Cidade:

A dor que fortalece nos enobrece


Você já se perguntou o por que algumas pessoas, mesmo em idade avançada 'teimam' em se dedicar ao trabalho? à Sociedade? ao exercício da política? É por que sentem dor! Dor física/ emocional/ espiritual quando algo ou quem quer que seja não recebe aquilo que necessita para estar sintonizado em uma frequência de bem-estar.




Profissionais médicos sentem dor quando não conseguem salvar uma vida. Sentem dor ao atenderem pessoas que foram feridas por imprudência.



Professores sentem dor quando seus pupilos/alunos/discípulos deixam de relembrar os ensinamentos/conhecimentos que passam, ou quando, por razões diversas nos são tiradas memórias que sabemos que temos: seus nomes, e o que ensinaram.



Mães e merendeiras sentem dor quando seus filhos/jovens escolhem alimentos/comidas industrializadas ao invés de agradecerem pelo alimento que elas preparam ou mesmo deixam de juntar forças e energia para que o alimento por mais 'simples' que seja seja nutritivo.




É a dor que impulsiona a busca pelo conhecimento, pelo entendimento e pela sabedoria. É esta que estimulou pesquisadores de diferentes áreas a sintetizarem conhecimentos para tornar a existência humana mais leve, mais fácil e fluída. É esta mesma que também estimula a criação de livros e a união de esforços para despertar talentos e vocações.



É a dor que também faz com que ansiamos para que todos vivam em sua forma plena e que contribuam o máximo que podem, pelo desenvolvimento de ideias, ações e projetos pela sociedade e humanidade.


É a dor e a compaixão que faz com que mulheres tragam vidas ao mundo, para curar gerações, gerar proximidade e união de famílias e comunidade.


É este mesmo motivo que impulsiona homens e mulheres a se dedicarem, com afinco na geração de oportunidade de trabalho e de acumulo de bens (físicos/materiais) para criar oportunidade de trabalho a outros.


O que poucos sabem é que quando algo necessário a este trabalho 'é tirado', drenam-se ai forças vitais, o que gera a sensação de 'impotência' que afeta, na verdade, a todos, em todos os níveis.



Em verdade, toda a natureza, todas as pessoas e todos os seres se empenham, ao máximo, em promover para nós aquilo que necessitamos em algum nível, até que desenvolvamos nossa autoconsciência, até que desenvolvamos o equilíbrio emocional, até que passemos a entender a todos, até que amemos de forma incondicional e em desapego.


E, na fase adulta, é um dever nosso cuidarmos de nós, um dos outros, de inspirar nobreza de espírito, de pensamentos e cuidar e zelar pelos que estão conosco e pelos nos precederão, e isto envolve nosso desempenho máximo nas áreas que escolhemos atuar, para promover o bem estar, a bem aventurança, a alegria, a paz e a esperança à nós, e para os outros.


P.09 DA ED_edited.jpg
bottom of page