top of page
GUPET.jpg
Logo Site Projetar e Construir.jpg
LOGO FINANÇAS E CONTABILIDADE.jpg
LOGO SAÚDE EM FOCO.jpg
Logo_AgroNegócio_&_Veterinária_Miniatura
Logo Moda & Tecnologia Miniatura.png
Logo Educação Política miniatura.jpg
MÍDIA DA CASTERLEITE ATUALIZADA_edited.jpg
95090b_c4ed513d5c6c4c7ab4c88326c9ab528b~mv2.png
MIDIA JORNAL A FOLHA DO VALE DISK PRÁTIC
Guia Digital da Cidade_edited.jpg
Mandala%20do%20L%C3%ADrio_edited.jpg

Integração Ativa, no Guia Digital da Cidade:

E-book gratuito ensina como criar corredores de plantas em centros urbanos


A obra é um guia prático para cidadãos de centros urbanos que queiram promover corredores de plantas e conservar a biodiversidade.


A Associação Brasileira de Estudos das Abelhas (A.B.E.L.H.A.), com apoio do Instituto Biológico de São Paulo, oferece gratuitamente o livro “Biodiversidade em ação: conservando espécies nativas”, das pesquisadoras Isabel Cruz Alves, Marilda Cortopassi-Laurino e Vera Lucia Imperatriz-Fonseca.


A obra é um guia prático para orientar cidadãos de centros urbanos que queiram promover corredores de plantas destinados a conservar a biodiversidade local, denominados corredores ecológicos urbanos. Estes espaços são compostos por vegetações de diferentes características (arbustos, árvores) que fazem a conexão entre áreas naturais ou seminaturais, auxiliando na sobrevivência de muitas espécies, isoladas umas das outras pelas construções urbanas.


“Essas áreas verdes possibilitam a sobrevivência dos animais que as polinizam e os que dispersam suas sementes, num ciclo de ajuda mútua bom para todos”, explica Isabel Cruz Alves, que concebeu e organizou a obra.


De olho na jataí

O livro aponta dois caminhos principais para quem quer ajudar a conservar a biodiversidade que ainda resiste à expansão dos centros urbanos. Um deles é plantando ou cuidando das plantas nativas, que são ideais para a sobrevivência de animais polinizadores (que transportam o pólen, como as abelhas), e animais dispersores (que levam as sementes, como as aves).


Outro caminho é por meio da conservação da abelha jataí (Tetragonisca angustula), uma espécie sem ferrão inofensiva ao homem, por isso mesmo, ideal para áreas urbanas, e que são excelentes polinizadoras. O livro traz detalhes sobre as abelhas e ensina como identificar e proteger ninhos de jataís.


Para ajudar na prática quem quer arregaçar as mangas, o livro inclui: Guia com informações de plantio e cuidado de 26 espécies de plantas nativas da Mata Atlântica e do Cerrado, orientações de como localizar ninhos de jataís, relação de animais polinizadores e dispersores de sementes, dicas de leitura e localização dos viveiros municipais de São Paulo (para retirada de mudas).


“O livro foi pensando para o público paulistano, mas, na realidade, é útil para cidadãos de qualquer cidade, pequena, média ou grande, localizadas no bioma do Cerrado ou da Mata Atlântica”, explica Ana Lucia Delgado Assad, diretora-executiva da A.B.E.L.H.A.. “E a jataí está presente em quase todo território nacional”, completa.


“Biodiversidade em ação: conservando espécies nativas” é a terceira publicação lançada pela A.B.E.L.H.A. neste ano. Ele foi precedido por “A história natural ilustrada de um polinizador: a abelha mamangava Xylocopa frontalis” e pela versão em português de “Soja e Abelhas”, publicado pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).


O livro em versão digital está disponível para download aqui.


 

P.09 DA ED_edited.jpg
bottom of page