top of page
GUPET.jpg
Logo Site Projetar e Construir.jpg
LOGO FINANÇAS E CONTABILIDADE.jpg
LOGO SAÚDE EM FOCO.jpg
Logo_AgroNegócio_&_Veterinária_Miniatura
Logo Moda & Tecnologia Miniatura.png
Logo Educação Política miniatura.jpg
MÍDIA DA CASTERLEITE ATUALIZADA_edited.jpg
95090b_c4ed513d5c6c4c7ab4c88326c9ab528b~mv2.png
MIDIA JORNAL A FOLHA DO VALE DISK PRÁTIC
Guia Digital da Cidade_edited.jpg
Mandala%20do%20L%C3%ADrio_edited.jpg

Integração Ativa, no Guia Digital da Cidade:

Plantas e Jardins, dicas da Carol Costa: Cuidados de cultivo do Lírio da Paz


Lírio-da-paz é um velho conhecido nosso. Com suas folhas brilhantes e longas e suas inconfundíveis florescências brancas, essa planta é muito querida por todos, principalmente pra quem gosta de cultivar espécies dentro de casa. Nossa jardineira Carol Costa traz um dossiê completo sobre a planta, neste vídeo cheio de dicas pra quem não quer pelejar pra manter o lírio-da-paz sempre bonito.


O lírio-da-paz (Spathiphyllum wallisii) é originário da América Central e gosta de sombra, umidade e calor, condições bem fáceis de serem encontradas na maioria das casas brasileiras. Mas, engana-se quem acha que "sombra" é "breu": em jardinagem, sombra são 2 horinhas de sol fraco e, sem essa luz solar, nada de flores no seu lírio-da-paz. Outro fator importante é a umidade, já que essa planta precisa de muita água. A superfície de cada folha é bem larga e fina, o que faz com que essa espécie perca água rapidamente.


Proteja o lírio-da-paz de vento, que é um vilão cruel que começa a mostrar seu ataque queimando as pontinhas das folhas. Ah, ar condicionado também não é legal, já que toda a umidade do cômodo vai embora, além de trazer o frio que a planta não curte.


Ficou um tempo fora e encontrou seu lírio-da-paz murcho, todo borocoxô? Nada que uma rega de emergência não resolva: coloque o vaso num recipiente maior, encha com água até quase a boca do vaso e, deixe a planta umas duas horinhas ali que ela se recupera de um jeito quase mágico.


Uma das características mais marcantes do lírio-da-paz são suas flores brancas, que surgem em caules mais longos do que a planta, como se fossem uma bandeira – aliás, bandeira-branca é outro nome popular dessa espécie. Se as flores do seu lírio-da-paz nascem mas, continuam verdes ao invés de branco, é falta de luz solar.


Passe a planta aos poucos, beeem devagar, pra um local onde bata o sol da manhã ou do finzinho da tarde. Essa transição lenta, chamada rustificação, fará com que seu lírio-da-paz dê flores brancas em algum tempo. Aliás, aquilo que chamamos de flor é uma bráctea, uma folha modificada. As flores verdadeiras estão naquela estrutura parecida com uma espiga e são minúsculas.


Pra reproduzir seu lírio-da-paz, a melhor forma é por divisão de touceira. Retire a planta do vaso e, separe gentilmente as raízes do torrão. Replante cada touceira num vaso com substrato pra mudas misturado com vermiculita, um mineral que ajuda a manter a umidade. Se está separando uma planta mais velha, é um ótimo momento pra adubar e dar mais espaço pra planta crescer mais ainda.


Uma boa sugestão é usar Bokashi, tanto o líquido quanto o farelado, que é um adubo bem completo, rico em macro e micronutrientes. No vídeo, nossa louca das plantas aproveita as touceiras pra replantá-las num arranjo. Usando um vaso da linha Loft, da Vasart, ela cria uma camada de drenagem, protegendo o furo do recipiente com um pedaço de tecido, usando argila expandida e cobrindo tudo com jornal.


Com substrato pra mudas (da All Garden) e reaproveitando a terrinha do produtor, Carol faz uma base pra começar o plantio. Coloca as touceiras do lírio-da-paz e completa o conjunto com um Anthurium clarinervium, da Magna Flora, já que ambas as espécies gostam das mesmas condições de substrato, rega e luz.


Pra dar uma bossa ao arranjo, algumas touceirinhas de fitônia (Fittonia albivenis), da RM Flores, com suas folhas verdes e brancas. Pra regar, use a regrinha do dedômetro: toque o substrato com a pontinha do dedo e, se sair sujo, deixe pra regar amanhã! E, pra adubar, é só usar o Bokashi, uma vez por mês, e, pra não errar, sempre usando uma dose um pouquinho menor do que está escrito na instrução da embalagem.


Por: Carol Costa | Canal Minhas Plantas

AudioLivros & Vídeos Saúde em Foco

Comments


P.09 DA ED_edited.jpg
bottom of page