top of page
Divulgação Pronac 2316326.jpg
Logo Site Projetar e Construir.jpg
LOGO FINANÇAS E CONTABILIDADE.jpg
LOGO SAÚDE EM FOCO.jpg
Logo_AgroNegócio_&_Veterinária_Miniatura
Logo Moda & Tecnologia Miniatura.png
Logo Educação Política miniatura.jpg
Guia Digital da Cidade_edited.jpg

Integração Ativa, no Guia Digital da Cidade:

GUPET.jpg
  • Post Elizangela Trindade

Citação Literária A Chave da Provisão Infinita I


Estamos na condição de Seres Humanos, trabalhando o desenvolvimento de nossa consciência física, mental, emocional e espiritual. E, tudo que vemos manifestado foi criado, primeiramente no plano mental. Assim são todas as coisas, bens e serviços que utilizamos/usufruímos, isso também vale para a abundância, a bem-aventurança e a prosperidade.


"O primeiro dever a ser cumprido num lar, para que nele haja prosperidade, é expulsar da mente de todos, os pensamentos negativos, e usar somente palavras positivas, assim preenchendo-o com atmosfera positiva e afirmativa, repleta de amor [acolhimento, entendimento, companheirismo, compreensão, boa vontade, benevolência]".


De acordo com Masaharu Taniguchi, no livro 'A Chave para Provisão Infinita, da Seicho-no-ie: É preciso ter o máximo cuidado para usar apenas palavras que preencham o lar com uma atmosfera repleta de prósperos pensamentos.

"A primeira lei da prosperidade é agradecer a todas as coisas que temos agora e também as que receberemos no futuro" (TANIGUCHI, 2006, p.84).

"Aquilo que se manifesta em cada momento depende do estado mental da pessoa que esta manifestando. Ou seja, como apenas aquilo que solicitamos manifesta-se no mundo fenomênico, o protótipo da criação, que manifesta algo que tem forma, é o pensamento, a palavra".


Nós vamos manifestando os resultados vistos/sentidos de acordo com o que declaramos. Por isso fomos colocados numa posição extremamente importante. A manifestação é feita livremente através de nossa mente (subconsciente e consciente).


Fonte: "TANIGUCHI, Masaharu. Chave da provisão infinita; tradução SEICHO-NO-IE DO BRASIL . 3. ed. São Paulo, 2006.

bottom of page