• Redação FinanceOne

Renda passiva e renda ativa: qual a diferença?


Se você é um investidor ou está querendo começar a investir, já deve ter escutado falar sobre renda passiva e renda ativa. Na hora de investir, saber qual das duas rendas é melhor pode fazer diferença. Mas você sabe o que significa cada uma delas e quais são as suas características?


A renda passiva é o dinheiro que um empresário ou empreendedor ganha sem gastar muito tempo realizando a atividade. Ou seja, é a produção de renda sem o seu tempo. Pode ser também considerada uma forma de receber dinheiro sem investir uma grande parte de um determinado período.


Já a renda ativa está relacionada ao ganho gerado a partir de um determinado trabalho. Ou seja, ao esforço realizado em uma atividade. Ela é formada por salários, adicionais, comissões, honorários e direitos trabalhistas. Nesse caso, é importante dedicar uma certa quantidade de horas e é necessária a presença regular para que o trabalho seja realizado.


Renda passiva e renda ativa

A renda passiva é uma estratégia que após algum tempo vai gerar uma segurança para quem investiu nela. É o rendimento proveniente de um investimento, quando você recebe sem trabalhar por isso.


Exemplos desse tipo de renda são a poupança, investimentos, ações em empresas, aluguéis e direitos autorais. Depois de um período, os lucros vão começar a surgir. Além da possibilidade de continuar ganhando pelo mesmo, sem muito trabalho.


Já o oposto, a renda ativa tem o rendimento gerado com o trabalho. Essa renda tem como característica a regularidade, ou seja, é o emprego de carteira assinada ou até mesmo o trabalho de freelancer. Na renda ativa, a pessoa que recebe o salário fixo sabe o dia que terá o pagamento.


Um ponto negativo é que caso a pessoa seja demitida ou impossibilitada de trabalhar, automaticamente, ela perde a renda ativa. Por isso, a renda passiva é uma boa forma de complementar os rendimentos e garantir dinheiro para o futuro.


Saiba como se aposentar por meio da renda passiva

Você já percebeu que ter apenas a renda ativa como forma de se sustentar pode não ser suficiente. Por isso, é importante saber como criar uma renda passiva, principalmente para planejar uma aposentadoria desde cedo.


Quem quer se aposentar com renda passiva precisa se planejar, antes de qualquer coisa, a longo prazo. Para isso é preciso investir em uma renda que pode ser tanto fixa quanto variável. Além de ser necessário ter um colchão liquidez, que renda em diferentes cenários da economia, até mesmo quando o país está em crise.


Para quem não conhece o colchão liquidez, ele é destinado ao gerenciamento da Dívida Pública Federal (DPF). Também é integrante da Conta Única do Tesouro Nacional, que pode ser definida como o saldo agregado das fontes orçamentárias e financeiras. Esses recursos são destinados exclusivamente para o pagamento da DPF.


Mas como gerar uma renda passiva? Primeiro a pessoa pode aplicar um determinado valor em uma poupança mensalmente, em torno de 10% e 20% do salário. O dinheiro deve ser aplicado em diferentes áreas do mercado financeiro. Assim as chances de ter uma aposentadoria mais rentável e segura são maiores.


Mas é importante que você esteja sempre avaliando se os recursos aplicados estão realmente rendendo. Isso porque o cenário financeiro pode influenciar diretamente nos seus investimentos, sejam eles financeiros (aplicações em bancos) ou materiais (carros e imóveis).


Planejamento é o segredo da renda passiva

Como já foi dito anteriormente, é preciso se planejar para ter uma renda passiva. E, para isso é necessário pensar qual a melhor forma de projetar o futuro, além de ter cuidado na hora de realizar um colchão de liquidez. Este último pode ser resgatado em situações de emergência ou caso a pessoa ache necessário.


Por exemplo: se você aplicou dinheiro em investimentos considerados de baixa liquidez, provavelmente terá problemas no futuro. Para isso, veja um passo a passo de como se planejar:


1º passo: crie uma planilha;

2º passo: anote os gastos previstos durante o mês;

3º passo: registre todas as despesas extraordinárias, pelo menos nos próximos meses;

4º passo: marque todos os rendimentos que você tem;

5º passo: some todo o custo equivalente de pelo menos seis meses da vida.


Depois que você realizar todo o planejamento, poderá começar a pensar em como investir na renda passiva. Para isso, é preciso aplicar o dinheiro em investimentos mais líquidos, Veja alguns deles:


Títulos Tesouro Selic: o valor pago é devido à variação da taxa Selic, além de não sofrer com a delimitação do mercado financeiro. Sendo assim, não possui a mesma volatilidade de outros Tesouros.


Fundo atrelado ao IPCA de curto prazo: o dinheiro investido é aplicado em títulos IPCA em até cinco dias. Outro benefício desse investimento é que ele ajuda a se proteger da inflação.


Certificado de Depósito Bancário com liquidez diária: o CDB, como também é conhecido, é um dos que têm maior retorno da renda fixa, porque a liquidez é diária. Isso permite que o resgate possa ser feito a qualquer momento. Mas antes de utilizá-lo, verifique realmente se a liquidez é diária e se existe prazo de carência.


Fundo DI: tem a mesma característica do CDB, ou seja, tem a liquidez diária, porém ela aplica pelo menos 95% dos recursos em títulos públicos atrelados à Selic.


Fonte: Redação FinanceOne

Logo Site Projetar e Construir.jpg
LOGO FINANÇAS E CONTABILIDADE.jpg
LOGO SAÚDE EM FOCO.jpg
Logo_AgroNegócio_&_Veterinária_Miniatura
Logo Moda & Tecnologia Miniatura.png
Logo Educação Política miniatura.jpg

Empresas em Destaque

1/6

1/2

1/1

1/3