top of page
Divulgação Pronac 2316326.jpg
Logo Site Projetar e Construir.jpg
LOGO FINANÇAS E CONTABILIDADE.jpg
LOGO SAÚDE EM FOCO.jpg
Logo_AgroNegócio_&_Veterinária_Miniatura
Logo Moda & Tecnologia Miniatura.png
Logo Educação Política miniatura.jpg
Guia Digital da Cidade_edited.jpg

Integração Ativa, no Guia Digital da Cidade:

GUPET.jpg
  • Chico Júnior

Somos minerais. Um pouquinho, mas somos


Em seu livro “Comida e Sociedade – uma história da alimentação” o historiador Henrique Carneiro ensina que “os corpos humanos são compostos em 93% de apenas três elementos: oxigênio, carbono e hidrogênio, outros 6,1% são nitrogênio, cálcio e fósforo”.

“A composição dos alimentos”, continua, “assemelha-se à do corpo: necessitamos água, sal, carboidratos (glicídios), substâncias nitrogenadas que contêm aminoácidos (protídeos) e ácidos graxos (lipídios), fibras e, em quantidade mínimas, sais minerais e vitaminas, para fornecer as fontes energéticas e plásticas e os catalisadores bioquímicos.

Esse fornecimento obedece à necessidade de calorias, calculada como sendo em torno de 2.500 diárias em média para um adulto que realiza apenas trabalho leve, e também de proteínas e elementos minerais necessários para a reposição plástica do organismo e vitaminas e outros minerais em quantidade ínfima para o seu funcionamento adequado”.

A quantidade desses minerais – além do carbono, do cálcio e do fósforo – pode ser ínfima – mas é fundamental para a nossa sobrevivência. A carência de alguns minerais pode provocar sérios danos à nossa saúde. Mas antes de pensar em começar a usar remédios e vitaminas sintéticas para compensar a carência de algum desses minerais, é bom que se saiba que todos podem ser obtidos por intermédio dos alimentos, da famosa alimentação balanceada.

Numa alimentação balanceada e diversificada, você encontra de tudo, inclusive os minerais que o seu corpo precisa para viver.

Entre os dez minerais mais presentes em nosso organismo, o cálcio lidera a lista, seguido do ferro, magnésio, fósforo, potássio, sódio, iodo, zinco, selênio e flúor.

É interessante notar que, por menor que seja a quantidade de um mineral no nosso corpo, a sua carência pode nos trazer sérios problemas de saúde.

O cálcio, por exemplo, é um mineral essencial para a construção e manutenção dos ossos e dos dentes, além de ser importante para a contração muscular e transmissão dos impulsos nervosos. Portanto, a carência de cálcio, pode ocasionar problemas nos ossos, nos dentes, nos músculos. O cálcio, assim como outros minerais, está presente em dezenas de alimentos, como leite, queijo, espinafre, sardinha e brócolis. leite, queijo, espinafre, sardinha e brócolis.

A carência do segundo da lista, o ferro, pode causar anemia. Você encontra ferro nas carnes vermelhas, nos peixes, beterraba, gema de ovo, cereais, leguminosas etc. A deficiência de ferro e iodo ainda afeta milhões de pessoas no mundo.

O magnésio é imprescindível para o relaxamento muscular. A sua carência, bem como a do potássio, pode causar câimbras. Alimentos com magnésio: leite, soja, grão de bico, pão, peixes, batata, beterraba, couve, espinafre, frutas (uva, banana, abacate), gérmen de trigo, aveia, nozes, gergelim, amendoim, girassol, amendoim.


bottom of page